Cozinha GourmetGuia da Cerveja

Chope x Cerveja – Qual a diferença?

Entenda a diferença entre cerveja e chope!

No mundo todo é empregada a mesma palavra para designar a cerveja, independentemente de sua forma de armazenar. No Brasil, usa-se a palavra chope para designar a cerveja armazenada em barris e servida através de torneiras depois de resfriada.

Chope, vem de schoppe, palavra originária de uma gíria alemã, que significa “copo de meio litro”, uma medida de volume usada nos bares da época. O emprego incorreto da palavra germânica provavelmente começou a ser difundido a partir dos primeiros cervejeiros alemães que vieram, no final do século XIX, ajudar a implantar as primeiras cervejarias no Brasil.

“Ein schoppen!”

É quase certo que os operários brasileiros, analfabetos da língua, interpretaram como sendo cerveja aquilo que os técnicos alemães lhe pediam quando estendiam suas canecas dizendo “ein schoppen!”. Portanto, ficou entendido que a cerveja que saísse diretamente do barril era schoppen ou, como simplificaram, chope.

Tradicionalmente o chope é armazenado em barris. Antes do surgimento dos barris de aço inoxidável usavam-se barris de carvalho.

Antigamente na Inglaterra, o processo de fermentação continuava dentro do barril, pela presença proposital de açucares não fermentados e leveduras ainda ativas. Devida a essa segunda fermentação, a carbonatação ocorria naturalmente, acentuando o sabor do malte e do lúpulo presentes na receita. Este tipo de cerveja, é considerado uma garantia total da pureza do produto, uma vez que não passa por nenhum processo de filtração ou pasteurização.

Em geral, a cerveja (engarrafada ou em lata) é o chope filtrado e sem nenhum tipo de microorganismo. Isso faz com que ela dure muito mais tempo do que o chope. Mas o processo de pasteurização pode modificar, ainda que levemente, o sabor original da bebida. Já o processo de filtração, embora tenha como resultado cervejas brilhantes e com apelo visual significativo, pode retirar parcialmente substancias que aumentam a sensação de corpo. Em ambos os casos, perde-se um pouco em sabor e em aroma.

Referência: Livro Larousse da Cerveja – Ronaldo Morado e Site O Caneco

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *