A cerveja é feita com apenas 4 ingredientes. E você sabe quais são eles?

Bebidas alcoólicas que usem cereais, mas não utilizem ao menos 20% de malte de cevada não podem ser chamadas de cerveja, ainda que apliquem o mesmo processo de fabricação.

Pela lei da Pureza da Cerveja Alemã, as cervejas deveriam conter apenas malte, lúpulo, água e levedo. Mas a cerveja é uma bebida bastante versátil, permite muitas possibilidades de variações quanto aos ingredientes utilizados, a proporção entre eles, o grau da maltagem do cereal, o tipo de lúpulo, o tipo de fermentação, a temperatura e a duração das etapas do processo e as formas de armazenamento.

Malte de cevada cerveja

A cerveja deve ser produzida obrigatoriamente de cevada, mas, às vezes, podem ser acrescentados a ela outros cereais, como trigo, aveia, arroz, milho, embora estes sejam bem mais difíceis de maltar.

Na composição da cerveja, ele é a principal fonte de amido, cuja estrutura é modificada durante o processo de maltagem (conversão do cereal natural em malte). Nem todo cereal serve para produção de cerveja. Ele deve ter algumas qualidades específicas, as mais importantes são o conteúdo de proteína, a taxa de gordura, o rendimento da extração e a capacidade de germinação.

O processo de maltagem transforma o cereal em malte e é fundamental para a qualidade e a personalidade da cerveja. A composição do malte é responsável pela cor e pelo paladar da bebida. Também influi indiretamente na espuma e no corpo da cerveja. Além disso, o álcool será formado a partir dos açucares obtidos da transformação do malte na fabricação de mosto.

Para conseguir o malte, os grãos do cereal são umedecidos a ponto de iniciarem a germinação. Quando o embrião começa a germinar, produz enzimas que quebram parcialmente o amido e as proteínas. A intensidade dessa quebra é chamada grau de modificação do malte e é fundamental na formação do sabor e dos aromas do malte.

Utiliza-se cerca de 150 gramas de malte de cevada para cada litro de cerveja a ser fabricada. E existem muitos tipos de malte, e alguns deles até recebem nomes dos estilos de cerveja em que são mais utilizados:

  • Lager: tem cor clara e aroma de cereal
  • Pale Ale: um pouco mais escuro e lembra biscoito
  • Caramelo: lembra açúcar queimado
  • Chocolate: confere à cerveja aromas de caramelo queimado, chocolate amargo ou café
  • Escuro: sua aparência é a de café torrado
  • Cevada torrada: bastante amargo, tem aroma intenso de café tostado, queimado

Água cerveja

Considerando-se que mesmo as cervejas mais fortes têm 90% de água, a água é um ingrediente importantíssimo na qualidade final do produto. Mas mesmo sendo um ingrediente fundamental no processo de fabricação da cerveja, não se pode dizer, hoje em dia, que uma cerveja seja melhor ou mais saborosa que outra porque sua fonte de água é mais pura.

Hoje, minerais podem ser removidos ou adicionados à água para modificar o estilo da cerveja. A suavidade e a delicadeza das cervejas Boêmia são incrementadas pela adição de uma pequena porcentagem de sais de água da região.

Lúpulo cerveja

Terceiro ingrediente na formulação da cerveja, além da água e do malte, o lúpulo é utilizado em pequena quantidade: são necessários de 40 a 300 gramas de lúpulo para produzir 100 litros de cerveja.

Ao contrário do malte, o lúpulo não altera o teor alcoólico nem o corpo da cerveja. Sua presença é fundamental para conferir à bebida o amargor característico da maioria das boas cervejas. Além disso, seus aromas variam do herbal ao floral, do frutado ao condimentado. Também, ele tem efeito relaxante, do que se conclui que a cerveja é relaxante não apenas pelo álcool.

Levedo

O levedo é um fungo microscópico. Durante o processo de fermentação, consome açucares fermentáveis, como a maltose, e produz álcool e gás carbônico.

Embora existam centenas de tipos de levedo, a maioria deles não é apropriada para fabricação da bebida. De modo geral, podemos classificar as variações cervejeiras em dois tipos:

  • Leveduras de alta fermentação – utilizadas em processos fermentativos entre 15º e 25ºC. Produzem aromas típicos frutados e em alguns casos condimentados. Não fermentam bem a temperaturas mais baixas.
  • Leveduras de baixa fermentação – ativas a temperaturas mais baixas, utilizadas na maioria dos casos entre 9º e 15ºC, para produzir estilos mais neutros do ponto de vista de aromas da fermentação, como as Pilsen.

 

Além desses ingredientes base, alguns aditivos como ervas aromáticas e frutas são frequentemente usados como ingredientes na fabricação da cerveja, a fim de mudar o sabor, o aroma e a cor, criando uma característica única.

 

Referência: Livro Larousse da Cerveja – Ronaldo Morado

2 comments

    • Preçolandia 11 abril, 2018 at 09:58 Responder

      Olá Roberto. Sim, existem algumas cervejas com baixíssimo teor alcoólico e até mesmo com 0% dele. Entretanto, antes de consumir a bebida, o indicado é sempre consultar a opinião de um médico especialista 🙂

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *